Cuba goza actualmente de um sistema social que permite o acesso de toda a população à educação e à saúde.

Depois da Revolução Cubana impulsionou-se a alfabetização da população através da instituição de um sistema de educação gratuito e obrigatório que permitiu reduzir a percentagem de analfabetos, inferior a 1%.

Contudo, pelo facto de a educação ser gratuita não significa com isso que é de qualidade inferior. Os estudantes de Cuba possuem um nível de formação elevada e uma alta competitividade reconhecida a nível mundial. Para tal, contribui o acesso gratuito ao ensino superior, que permite a colocação no mercado de trabalho de uma oferta qualificada de profissionais formados e tecnicamente capacitados em diversas áreas.

A Saúde Pública da ilha tem ganho reconhecimento junto dos organismos mundiais e regionais especializados já que todos os cidadãos cubanos residentes no país têm direito a receber gratuitamente assistência em todas as instituições de saúde.

O estado garante o direito a receber cuidados médicos da seguinte forma: a prestação de assistência médica e hospitalar gratuita, através da rede de serviço médico rural, dos serviços policlínicos, hospitais, centros profilácticos e de tratamento especializado; através da prestação de assistência estomatológica gratuita; implementando o desenvolvimento dos planos de divulgação sanitária e de educação para a saúde, exames médicos periódicos, campanhas de vacinação geral e outras medidas preventivas de doenças.

Estes planos e actividades abragem toda a população através das organizações de massas e sociais, permitindo ainda a Cuba, na sua capacidade excedentária de mão de obra altamente qualificada disponibilizar ajuda médica a países terceiros, tendo hoje em dia perto de 50.000 especialistas expatriados em mais de 90 países.

A taxa de desemprego do país não ultrapassa os 2% tendo ao serviço do estado 78% do total de trabalhadores.

A economia actual cubana vem apresentando um crescimento sustentado depois dos desastres naturais de 2005 e 2008, e a sua produção interna não é ainda suficiente para abastecer a procura interna. Foi por essa razão que no VI Congresso do Partido Comunista em Cuba, celebrado em Abril de 2011, foi aprovada uma série de medidas que permitiriam uma mudança no modelo económico do país, para dessa forma encontrar um novo rumo para o crescimento sustentado da economia cubana.